19 Abr 2021

Acadêmicos da UFPR apresentam ideias a executivos do mercado na Shark Tank Federal

Estudantes do ecossistema do Instituto de Soluções Tecnológicas Aplicadas da UFPR (INSTA) apresentam, nesta quinta (18), 19h, em evento online,  seus projetos e startups para investidores e gestores de empresas. O evento, intitulado “Shark Tank Federal”, vai contar com a participação de três executivos do mercado, com o objetivo de fomentar a inovação e a integração com a indústria e a sociedade. 

De acordo com o professor Pablo David Valle, do Departamento de Engenharia Mecânica, a iniciativa começou a partir da ideia de estimular acadêmicos da especialização a desenvolverem projetos desde o início dos cursos, em uma alternativa aos tradicionais trabalhos de conclusão. Segundo ele, por estarem em uma fase mais madura e serem um público heterogêneo, eles têm o estímulo de trabalharem em grupo, pensando em atender o mercado em harmonia com os 17 objetivos do desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas.

“Quando começamos a incentivar trabalhos em equipe, convidamos especialistas para que eles avaliassem os projetos. Usando a metodologia startup, eles conhecem a proposição, a ideia e o projeto e dão um feedback, uma crítica pragmática e aplicada”, comenta. Nesta edição, cinco equipes irão apresentar e ter um retorno crítico dos “tubarões” David Becher, João Guetter e Rafael Rodrigues. 

O executivo David Becher comenta que , na prática, investe em projetos da nova economia, atraído pela dinâmica das startups. Mas a sua bagagem e experiência no setor produtivo também contam para que exerça a função de investidor anjo. Na banca da Shark Tank Federal sua missão é um pouco diferente: não envolve recursos, mas avaliação e mentoria.  

Este tipo de avaliação já teve impacto no projeto do estudante da especialização em Engenharia Mecânica, Philippe Niemiz. Ele e o seu grupo apresentaram uma proposta em duas edições do Shark Thank e, em uma delas, diante de um feedback, buscaram aprimorar a ideia. “Esta oportunidade de conectar ideias que estão no ambiente acadêmico com o mercado fomenta um gás a mais”, explica. Segundo ele, o evento permite a conexão entre alunos que querem empreender e executivos, o que é muito positivo.  

Segundo o professor Pablo, além do incentivo na conexão entre academia e mercado, o evento também dá vazão a uma preocupação típica de uma instituição federal de ensino: não deixar ninguém para tras. “A ideia é elevar todos os interessados a um patamar que possa interessar naturalmente ao mercado“, sintetiza.

Deixe uma resposta